Indústria de Calçados Faceboot

Trajetória

Ano de Fundação: 2012
Fundador: Rafael Wallace Pascoal Dias e Airton Lima Dias
Número de Empregados e Produção Inicial: 112; 6 funcionários.
Número de Empregados e Produção Máxima: 600 pares/dia; 43 funcionários.
Principais Produtos: Calçados infantis masculinos.

História

História: A Faceboot Calçados nasceu em 2012 por iniciativa de Airton Lima Dias e seu filho Rafael Wallace Pascoal Dias. No começo, a empresa ocupava um barracão de 100 metros quadrados, localizado na rua Arthur Albertin, 2153 – Parque das Nações. Um dos sócios, Airton Lima Dias era proprietário anteriormente da empresa de calçados Z Kids.

A produção, a princípio, era de 112 pareces/dia, com seis funcionários tendo como mercado principal o Estados de São Paulo (região do Braz). O foco da produção eram os calçados infantis masculinos para a classe B e C tendo em vista os produtos diferenciados e com valor agregados produzidos pela empresa.

A estratégia de agregar valor aos produtos e os investimentos em qualidade favoreceram o crescimento da Calçados Faceboot ampliando sua produção, o número de empregados e os investimentos em máquinas e equipamentos. Dessa forma, a empresa foi evoluindo e alcançou uma produção de 532 pares/dia empregando 35 trabalhadores em 2016. Com o crescimento a empresa teve que se instalar em um prédio maior, mudando-se em 2013 para a Rua Durval Tanaka, 268 em uma unidade produtiva de 250 metros quadrados. Posteriormente, o prédio ficou pequeno e a empresa foi se instalar em um barracão de 700 metros quadrados localizado na Rua Reverendo Cyrus Basset Dawsey, 442 no bairro Novo Parque São Vicente, local onde está atualmente.

Ao longo dessa trajetória a Faceboot Calçados criou uma marca nova para o segmento feminino – Lorraine e ampliou as vendas para outros estados com destaque para Paraná (PR), Bahia (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Santa Catarina (SC).

No segundo semestre de 2017 a Faceboot sentiu o impacto da crise econômica que enfrentava a economia brasileira e, em especial, o setor calçadista nacional. Em decorrência da crise a produção foi reduzida e organização precisou se adaptar ao novo contexto e desenvolver estratégias para enfrentar o cenário de crise. E, entre as estratégias implementadas, destacou-se a compra de uma marca nova – Minipasso –  marca mais de combate e destinada ao segmento masculino e, posteriormente, a criação da marca Xucs para meninas. Outro aspecto importante foi a inserção internacional no primeiro semestre de 2017 com vendas para o Paraguai. Destacou-se também o início das vendas online no Mercado Livre, alternativa que vem crescendo mês a mês potencializando o desenvolvimento da empresa que hoje está se especializando em atender esse mercado.

Imagens
página  2  de  3
Áudio
Vídeos
Documentos

FOTOS , JORNAIS OU IMPRESSOS ANTIGOS DE BIRIGUI? NOS ENVIE!